$(
Select Page

TERAPIA DA FALA

O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, intervenção e estudo científico das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita mas também outras formas de comunicação não verbal. O Terapeuta da Fala intervém, ainda, ao nível da deglutição (passagem segura de alimentos e bebidas através da orofaringe de forma a garantir uma nutrição adequada).

O Terapeuta da Fala avalia e intervém em indivíduos de todas as idades, desde recém-nascidos a idosos, tendo por objeticvo geral otimizar as capacidades de comunicação e/ou deglutição do indivíduo, melhorando, assim, a sua qualidade de vida.

SINAIS DE ALERTA


Não reage a sons do dia-a-dia.

Parece não entender o que as pessoas lhe dizem.

O contacto ocular é reduzido/ausente.

Aos dois anos não fala ou diz poucas palavras.

Aos três anos não faz frases.

As pessoas não conseguem entender o que a criança diz.

Tem dificuldades em se relacionar e interagir com outras crianças.

Troca, omite ou distorce sons ou partes das palavras.

Troca sons ou letras quando está a ler ou escrever.

Apresenta dificuldades na leitura e na escrita.

Fica rouco ou sem voz com frequência.

Ao falar, bloqueia ou repete muitas vezes o mesmo som, sílaba ou palavra.

Engasga-se ou tem dificuldades ao engolir alimentos sólidos ou líquidos.

Tem dificuldades a morder, mastigar ou controlar o alimento na boca.

Respira predominantemente pela boca.

Recusa alimentos sólidos ou apenas come uma variedade muito restrita de alimentos.

AVALIAÇÃO


Para se entender a origem e o impacto das dificuldades de cada criança, é aconselhada a realização de uma avaliação especializada, consoante as dificuldades/queixas referidas. Para a avaliação é necessário o levantamento de todo o historial da criança, bem como uma avaliação direta com a criança.

O tipo de avaliações mais comuns são:

  • Avaliação da comunicação pré-verbal;
  • Avaliação da articulação verbal;
  • Avaliação da linguagem em idade pré-escolar;
  • Avaliação da leitura e escrita (pré-requisitos linguísticos);
  • Avaliação da alimentação (sucção / mastigação / deglutição / seletividade alimentar).

COMUNICAÇÃO


Comunicação é um processo complexo onde ocorre troca de informação entre dois intervenientes. A comunicação pode ser realizada de diversas formas e através de combinações verbais (uso da linguagem – oral ou escrita) e não verbais (olhar, expressão facial, postura, gestos e linguagem corporal).

FALA | ARTICULAÇÃO VERBAL E FLUÊNCIA


Fala é a acção motora que possibilita a emissão de sons, de palavras e de frases, sendo o principal método verbal oral de transmissão de mensagens.

Uma das suas vertentes é a articulação verbal que consiste na produção oral dos fonemas/sons. Outra das suas componentes é a fluência que diz respeito ao débito, ou seja, consiste na capacidade de encadear os sons da fala de forma contínua, possibilitando assim um discurso fluente, com ritmo e pausas adequadas.

LINGUAGEM


Linguagem é a capacidade de entender e utilizar palavras e frases com significado. Envolve a vertente de compreensão (linguagem recetiva) e a de expressão (linguagem expressiva).

A linguagem diferencia-se em três componentes principais:

  • Forma | regras que gerem os sons e todas as suas possíveis combinações (fonologia), formação e estrutura interna das palavras (morfologia), e organização das palavras numa frase (sintaxe);
  • Conteúdo | significado das palavras e interpretação das suas combinações (semântica);
  • Uso | adaptação e adequação da linguagem ao tipo de contexto social (pragmática).

VOZ


Voz é um mecanismo fisiológico que permite a emissão de som durante a fala, através do movimento das cordas vocais. A qualidade vocal pode ficar comprometida (por questões orgânicas ou funcionais) e a intervenção em terapia da fala centra-se na prevenção da sintomatologia, na cessação dos maus usos e abusos vocais e na prática de saúde vocal.

LEITURA E ESCRITA


A linguagem escrita é a capacidade de descodificar e se expressar através de letras, palavras e frases escritas. Ao contrário da linguagem oral, a linguagem escrita pressupõe uma aprendizagem explícita dos grafemas que convertem a linguagem oral em linguagem escrita. O terapeuta fala intervém nos casos de dificuldade de aprendizagem da leitura e escrita.

ALIMENTAÇÃO


Consulta especializada para a criança com desafios alimentares, utilizando uma abordagem interdisciplinar integrada, com a possibilidade de abranger vários profissionais que, através do trabalho conjunto e integração de saberes, proporcionam uma resposta adequada a todas as crianças com disfagia, perturbações da alimentação de base sensorial e desafios alimentares, contribuindo deste modo para um desenvolvimento harmonioso e bem-estar da
criança.

O terapeuta da fala com formação específica em alimentação na criança procura identificar as barreiras que limitam o desenvolvimento e conforto das habilidades alimentares da criança, dentro das seguintes áreas: motoras, sensoriais, fisiológica e aspetos relacionados com a refeição, vivências e rotinas alimentares.

ALIMENTAÇÃO


  • Perturbação do Espectro do Autismo
  • Surdez
  • Atraso Global do Desenvolvimento
  • Paralisia Cerebral
  • Trissomia 21
  • Alterações cromossómicas
  • Outros síndromes
  • Outras patologias do neurodesenvolvimento
CORPO CLÍNICO
DRA. JOANA FIRMINO
Especialidade | Terapeuta da Fala
Cédula Profissional nº C-033857180


FORMAÇÃO Licenciada em Terapia da Fala pela Escola Superior de Saúde do Alcoitão. Pós-graduada em Intervenção Terapêutica nas Disfagias Orofaríngeas. Pós-graduada em Média Duração em Terapia da Fala em Contexto Educacional. Formada pelo Programa de Linguagem do vocabulário Makaton – Comité Makaton Portugal. Formada em Autismo: do diagnóstico e intervenção precoce à vida pós-escolar com participação nos workshops Sistema de Comunicação por Troca de Símbolos (PECS) e Autismo, música, Comunicação e Linguagem. Formada da ACLLE.


RESUMO DA CARREIRA PROFISSIONAL 2005-2009 Terapeuta da Fala estagiária em diferentes locais ao longo da licenciatura (Departamento da Criança e da Família do Hospital de Santa Maria, Serviço de neonatologia, APPACDM Lisboa, Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital Fernando da Fonseca). Desde 2010 Terapeuta da Fala na Associação / Colégio Infante de Sagres e em contexto particular.

DRA. SÍLVIA PINTO
Especialidade | Terapeuta da Fala Áreas de Diferenciação | PROMPT Cédula Profissional nº C-033549184.


FORMAÇÃO Licenciada em Terapia da Fala pela Escola Superior de Saúde do Alcoitão.
Pós-graduada em Intervenção Terapêutica nas Disfagias Orofaríngeas.
Mestre em Terapia da Fala na área da Motricidade Orofacial e Disfagia.
Formadora profissional certificada pelo IEFP.
Formada no Método PROMPT (Prompts for Restructuring Oral Muscular Phonetic Targets) em 2015.
Formação em disfagia, perturbações da alimentação de base sensorial e desafios alimentares na criança.
Formada no Método MDTP (McNeill Dysphagia Therapy Program) em 2018.


RESUMO DA CARREIRA PROFISSIONAL Desde 2009 em crianças e adultos em contexto de escolas e clínica privada.

DRA. TÂNIA LAVRA
Especialidade | Terapeuta da Fala Áreas de Diferenciação | Surdez

PROMPTS FOR RESTRUCTURING ORAL MUSCULAR PHONETIC TARGETS

O PROMPT (Prompts for Restructuring Oral Muscular Phonetic Targets) é uma abordagem dinâmica tátil de tratamento das perturbações dos sons da fala, baseada na utilização de pistas propriocetivas, cinestésicas e de pressão, com o objetivo de ajudar as crianças a ganhar controlo voluntário do sistema motor da fala e, por conseguinte, obter uma maior funcionalidade no seu discurso. Esta filosofia de tratamento procura assim (re)conectar e integrar três aspetos fundamentais da comunicação: motor, cognitivo-linguístico e social-emocional.

Os PROMPTS foram criados para auxiliar a criança na reorganização da articulação, sentindo qual o movimento correto, os músculos necessários, o modo de produção e a combinação desses movimentos para produzir palavras e frases.

Cada fonema tem um PROMPT específico, que é aplicado externamente através da manipulação dos músculos da face, queixo, mandíbula, nariz e outras estruturas associadas à produção de voz, como os pulmões e a laringe.

De uma forma geral, estes estímulos ajudam a reduzir o feedback incorreto e demonstram a sequência adequada de movimentos para atingir o padrão articulatório correto.

Esta técnica, utilizada por terapeutas da fala com formação específica, está indicada para crianças que tenham dificuldade na execução, no planeamento, na fluência e/ou na prosódia devido a uma alteração da produção do seu discurso e/ou da articulação verbal, como as verificadas nas seguintes patologias:
| Atrasos de desenvolvimento da linguagem;
| Perturbações fonológicas;
| Perturbações motoras da fala como a disartria e a apraxia da fala infantil;
| Disfluência;
| Défices auditivos.